domingo, 26 de novembro de 2017

DICAS DO VER E COMPRAR EM EXPOSIÇÕES DE ORQUÍDEAS

APROVEITE AO MÁXIMO AS EXPOISÇÕES


Minhas dicas do que fazer nas exposições:

1 - Aproveite para se encantar com as belezas, é claro!

2 - Observe as características das plantas:
a) Substrato: em que tipo? Qual é o mais usado?
b) Que tipo de vaso é mais usado?
c) Como ficam as raízes?
d) Saúde da planta ( folhas, flores, pseudobulbo...)


3 - Converse com pessoas presentes: orquidófilos expositores, orquidófilos visitantes, vendedores e interessados no cultivo - Troque experiências! Pergunte! Tire suas dúvidas e suas conclusões!

4 - Assista à palestras ofertadas.

5 - Tire fotos!
Faça fotos da planta toda, da flor (em close) e do nome.


6 - Sempre leve com você uma lista com as orquídeas que deseja e que pesquisou sobre elas, assim não comprará somente pela beleza da flor.

7 - Aproveite para comprar espécies que você deseja e materiais como substrato, adubo e afins.

8 - Para comprar:
Observe o estado geral da planta e não somente a beleza da flor!
- Veja:
a) o estado das raízes ( elas devem estar com aspecto saudável)
b) folhas: não devem estar cortadas (sinal que teve problemas), sem manchas ( a não ser a Oncidium Sharry Baby - orq chocolate, que é normal terem pintas nas folhas).
c) Dê preferência às floridas e/ com hastes ou espatas quase abertas ( lembre-se que com a mudança de local, após alguns dias em casa ela poderá abortar flores e/ou botões devido ao estresse)
d) Compre mudas de bom tamanho.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

CUIDADOS COM AS ORQUÍDEAS NO VERÃO

COM A CHEGADA DO VERÃO NOSSAS ORQUÍDEAS PRECISAM QUE REDOBREMOS OS CUIDADOS COM ELAS.


O verão costuma castigar e desidratar muito as orquídeas de um modo geral, por isso atenção redobrada nesta estação.

Como nem todo mundo tem um orquidário, com as telas de sombreamento as orquídeas ficam mais vulneráveis nesta estação do ano com altas temperaturas e diminuição da umidade do ar, o que dificulta o desenvolvimento da planta.

Enquanto no frio a maioria das plantas estão em um período de dormência, no calor as plantas tornam-se muito mais ativas e tendem a apresentar novos brotos e flores.

Além do calor, temos que ter em mente que outros parâmetros mudam e influenciam o cultivo. Os dias mais longos, o ar mais seco, aquelas chuvas rápidas de verão e as noites mais quentes fazem com que o cuidado seja diferenciado.

No caso de temperaturas muito altas as folhas ficarão amarelas ou pretas devido a sinais de queimadura.
Além disso folhas ainda podem ficar com as pontas de cor castanha e secas, também pode ocorrer quedas de folhas ou aparecer folhas deformadas. Se o calor for muito forte as orquídeas podem simplesmente não aguentar, portanto cuidado e atenção no verão e em dias muito quentes.

Com o desenvolvimento de brotos e folhas, a necessidade de água aumenta. Com aumento de temperatura e a exposição prolongada à luz solar, as plantas aumentarão a fotossíntese, transformando nutrientes e perdendo mais água pelas folhas. Logo, as regas tornam-se mais frequentes. Entretanto, o cuidado com o substrato é o mesmo, ou seja, nada de encharcá-lo, evitando assim o apodrecimento de raízes e o aparecimento de doenças. No verão, com o calor ainda mais intenso, os cuidados devem ser ainda maiores.

Assim como o consumo de água aumenta, o consumo de nutrientes também, porém cuidado com o excesso!

Ainda na primavera, aproveite para reenvasar aquelas que necessitam de uma nova morada. Em teoria, é melhor época para isto. exemplar está exigindo um vaso maior, mude-o no início do verão. 

DICAS:

1 - Hidrate mais a sua planta em dias de altas temperaturas. Regue de preferência antes de amanhecer ou antes do pôr-do-sol. Ao regar, borrife as plantas que podem receber água nas folhas, e apenas na base do vaso as da espécie Phalaenopsis que não pode receber água nas folhas porque acumula e em seguida a folha cai. Seja qual for a sua espécie orquídea regue moderadamente, as orquídeas detestam água acumulada no vaso.

2 - Faça adubação em dias amenos, ou no final da tarde, principalmente em plantas em que a adubação é feita nas folhas. Isto porque a luz solar e o calor do ambiente, em ação como o adubo, podem “queimar” as folhas e flores.

3 - A orquídea precisa de sol para florir, mas a radiação solar direta, ainda mais nesse calorão, pode queimar as folhas. Proteja as janelas se sua planta fica dentro de casa, para ajudar a evitar essas queimaduras e manter a hidratação por mais tempo. Se fica em uma área externa, cuide para que ela esteja pelo menos em lugar coberto.

4 - Use e abuse de bandejas umidificadoras, fontes, recipientes com água ( cuidados com o mosquito da dengue), molhe o chão do local.
Fonte que uso

Bandeja umidificadora

5 - Somente faça replantes, caso seja necessário.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

IDEIAS PARA CULTIVAR ORQUÍDEAS

Hoje, trago para vocês mais de várias ideias para cultivar orquídeas.







Se optar por este tipo de suporte, sempre tome o cuidado de, na hora de regar, observe se a água do vaso de cima, não escorrerá para o de baixo, pois se a de cima tiver alguma doença, passará para a de baixo.

Idem ao de cima





















segunda-feira, 6 de novembro de 2017

DICAS DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

MUITAS PESSOAS ACREDITAM QUE CULTIVAR ORQUÍDEAS É DIFÍCIL, PORÉM COM ESTAS DICAS VOCÊ VAI CUIDAR MUITO BEM DA SUA.

Neste Blog você vai encontrar muitas dicas, por isso, não se atenha somente à esta postagem.

DICA 1 - Saiba que orquídea você tem!
Procure sempre comprar com a ID (identificação).
Se ganhou ou não há ID dela, procure se informar (você pode entrar em um grupo de orquídeas, buscar a informação em floriculturas, etc).
Plaquinha com a ID

Por que é tão importante?
Sabendo a ID, podemos pesquisar como ela vive na natureza e oferecer um ambiente com condições parecidas para que ela possa se desenvolver.


DICA 2 - Onde colocar sua orquídea em casa?
Quando sabemos a espécie, basta saber se ela gosta de mais ou menos luminosidade, umidade, etc.
Folhas com verde muito escuro indicam falta de luminosidade!

Vamos supor, que você ainda não sabe... Bom, então você deve:
1.º não deixar ela na embalagem de floricultura ( se veio assim);
2.º Se ela estiver plantada em esfagmo (musgo) e ele estiver com cheiro ácido, você deverá retirar ela, lavar suas raízes e replantar em casca de pinus (a maioria das orquídeas é epífita, ou seja, vivem presas em árvores).
3.º Opte por um lugar que só pegue sol até às 9h da manhã ou no fim de tarde - Deixar exposta ao sol vai queimar as folhas.
4.º O lugar escolhido não deve ter correntes de ar;
5.º Só molhe o substrato (material em que está plantada - como casca de pinus, carvão, etc.). Basta colocar o dedo dentro do substrato, se sentir úmido não molhe. Para o cultivo das orquídeas, o substrato é de fundamental importância, não devemos nunca usar qualquer tipo de terra para plantá-las, já que seu substrato deve possibilitar uma fácil drenagem. Mesmo as orquídeas terrestres precisam que seu substrato seja misturado ( terra, humus, casca de pinus, etc)


ATENÇÃO!
" É MAIS FÁCIL MATAR UMA ORQUÍDEA POR EXCESSO DE ÁGUA, DO QUE PELA FALTA".



Vamos esclarecer melhor o item sobre luminosidade e regas, assim você entenderá melhor!

Luz


Não deixe as orquídeas expostas à luz solar pois existe uma grande probabilidade das folhas sofrerem queimaduras;
A iluminação deve ser utilizada de forma indireta – ou seja com alguma proteção entre a planta e o sol, por exemplo, uma cortina;
O ideal é que o sol recebido indiretamente pela orquídea seja o da manhã;
  • Recomenda-se deixar a orquídea entre 50 a 70% na sombra;
Se as folhas da planta estiverem amareladas isso é um sinal de que ela está recebendo luz em excesso;
Se as folhas apresentarem-se estreitas, longas e de cor verde bem escura isso indica que a iluminação está deficiente.
Temperatura, ventilação e umidade
As orquídeas toleram variações de temperatura entre 10 a 40º C, mas a temperatura ideal fica em torno de 25 graus;
Deve-se evitar ventos fortes e canalizados diretamente nas plantas;
  • As orquídeas são adaptadas a condições de umidade do ar relativamente elevadas;
Em regiões mais secas, recomenda-se borrifá-las com água periodicamente, usar bandejas umidificadoras, usar fontes, etc.;
  • Apesar de gostar de umidade, ventilação e claridade, as orquídeas não suportam ficar expostas diretamente ao vento, sol e chuva.
Rega

Orquídeas não gostam de ter água parada nas raízes, por isso não utilize o prato que fica embaixo do vaso;
Para saber o momento certo de regar a planta toque o substrato (a “terrinha”) com o dedo indicador e sinta se ele está seco ou úmido. Se estiver bem úmido, nada de água. As regas devem ser feitas apenas quando o substrato estiver seco;
Para regar a orquídea, leve o vaso para uma pia ou um tanque e deixe a água encharcar a planta até escorrer pelos furinhos do vaso. Molhe inclusive na parte debaixo das folhas. Deixe escorrendo por alguns minutos antes de voltar o vaso para o lugar em que ele estava;
Se a planta estiver florida, tome cuidado para não derrubar água na flor. Flores molhadas atraem pulgões, fungos e bactérias;

DICA 3 - VASO

Jamais use vaso muito grande! As orquídeas gostam de ficar "apertadinhas".
Vaso grande, fará com que sua orquídea use muita energia para se fixar (elas não gostam de ficar soltas no vaso), e este gasto vai interferir em seu desenvolvimento.
Pode-se usar tanto os vasos de barro como os de plástico;

DICA 4 - Nutrição

Assim, como nós, as plantas precisam se alimentar para poderem se desenvolver, mas não é qualquer coisa que podemos dar a elas!

Umas super DICA: o adubo para orquídeas pode ser usado em outras plantas, mas o adubo de outras plantas não pode ser usado nas orquídeas!

Adubação e cuidados gerais

Você já ouviu falar no NKP? 


É um adubo produzido pela indústria que contém os nutrientes que as plantas mais necessitam para um crescimento saudável: Nitrogênio (N), Fósforo (P) e Potássio (K). 

Se você observar a embalagem ele trará alguns números como 20-30-10... isso quer dizer que ele tem:
N - nitrogênio: 20%
P - Fósforo: 30%
K - Potássio 10%

Cada elemento químico é importante no desenvolvimento da orquídea, e dependendo da fase de desenvolvimento dela, ela irá precisar mais de um destes elementos!
Por exemplo: se sua orquídea já está emitindo brotos novos, é sinal que ela começa a precisar de mais P (fósforo), pois este auxilia na floração.


O produto pode ser comprado em casas agropecuárias, floriculturas, exposições, internet e até em alguns hipermercados e deve ser aplicado borrifando toda a planta, folhas e substrato.

Siga as recomendações do fabricante para a diluição.

Se você tem dúvidas quanto a fase de desenvolvimento de sua orquídea, use NPK 10-10-10 ou 20-20-20 que é de manutenção.

Quer saber mais?
Acesse os links abaixo:

terça-feira, 3 de outubro de 2017

KOKEDAMA PARA ORQUÍDEAS - Como fazer e como cuidar

Kokedama é uma técnica japonesa, variante do bonsai.


Kokedama é a junção das palavras koke=musgo e dama=bola, ou seja, é uma bola de musgo.

Feitas com musgo que funcionam como uma única planta pendurada, elas são muito bonitas e encantam pela sua presença marcante nos ambiente.

Vale destacar que há diversas receitas de kokedama, mas a maioria delas utiliza terra, e é voltada para outros tipos de plantas. É sempre importante lembrar que as orquídeas não sobrevivem na terra comum!

Aqui você vai aprender duas maneiras de fazer o kekedama.

1.ª maneira de fazer uma kokedama.

     Materiais:

     - pedras (brita ou seixos)
     - Casca de pinus (tamanho pequeno)
     - Musgo (esfagno previamente umedecido)
     - Barbante
     - Tesoura
     - 40 cm de fibra
     - 1 orquídea (previamente limpa nas raízes)

     Como fazer:

Corte as pontas da fibra, como mostra a figura 1

Coloque as pedras do meio


Acima das pedras, coloque as cascas de pinus e um pouco do esfagno.

Acomode a planta, centralizando a mesma.
Dica: umedeça as raízes da planta para ficarem maleáveis e não quebrar.

Comece juntando as pontas maiores da fibra



Vá fixando as pontas passando o barbante, por baixo e por cima.

Depois que fixou, desfie uns pedaços da fibra que sobraram, depois que cortou as pontas e envolva tudo.


Feito isso, vá envolvendo o Kokedama com barbante até formar uma bola, e finalmente o Kokedama estará pronto.




2.ª Maneira de fazer o Kokedama:

Materiais:

- Uma planta, com as raízes previamente umedecidas para ficarem maleáveis e não quebrar;
Pedras
- Rede ( daquelas que vendem com laranjas)
- Musgo esfagno
- Barbante
- Substrato
- Arame


  
     Como fazer:

1 - Pegue uma porção pequena de Musgo esfagno, molhe bem, envolva a raiz, e amarre com uma linha qualquer, como um barbante. Esse musgo absorve muita umidade, e é ele que vai hidratar a raiz da sua planta.

DICA: O musgo utilizado para fazer kokedama é o de nome esfagno ou Sphagnum. Coloque-o em cerca de 1,5 litro de água em um balde. Se a ideia for replantar uma muda debilitada, aplique até 5 gotas de algum enraizante de sua preferência e deixe o esfagno de molho por cerca de 15 minutos.

2 - Coloque o substrato dentro da rede ( você pode usar outro material parecido)

3 - Apoie a orquídea acima do substrato e feche a redinha, sem apertar de mais.

4 - Fixe o arame nas laterais da redinha, e deixe a ponta grande para cima, pois ela servirá para pendurar sua kokedama.

5 - Com o musgo umedecido, vá moldando em volta, formando uma bola, pressionando (sem apertar de mais) para que o musgo fique firme.

6 - Use o barbante para dar forma de bola. Pode acrescentar mais musgo para isso.

COMO CUIDAR DO SEU KOKEDAMA

Para manter a Kokedama sempre saudável alguns cuidados são recomendados. 
A questão principal é que a rega irá depender de cada espécie. Não existem regras rígidas, afinal é um delicioso exercício de observação e cuidado. 
Vamos lá:
  • LUZ: Procure atender as necessidades do tipo de orquídea que usou.
  • REGA: Existem 2 formas de regar sua Kokedama:            
    Opção 1 – submergir (a preferida!):  Uma boa e prática forma de regar a Kokedama é retirar de seu suporte e submergir a bola de musgo por alguns segundos (na torneira ou em um pote) e depois deixar a água escoar naturalmente por alguns minutos. Isto pode ser feito a cada 15 dias aproximadamente para suculentas e heras, por exemplo.                                                                       
    - Opção 2 – com borrifador:  Borrife diretamente na base da planta para atingir as raízes,  2-3 dias por semana. Borrife também o musgo para deixá-la mais verde por mais tempo.                                                                         
DICA: Tente sentir como a planta se desenvolve na sua casa, e aumente a rega se sentir que está ficando seca e murchinha. Se perceber que estão bem, não necessita regar. A quantidade e frequência da rega depende do quanto de água foi colocado na rega anterior e do quanto evaporou desde então.                                                                                              
  • Adubação: Se sua orquídea está florida não há necessidade de adubação. Após a floração inicie com adubo de manutenção.                                                       
  • O musgo poderá escurecer um pouco com o tempo, o que é normal.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

RECEITAS CASEIRAS PARA ORQUÍDEAS

CUIDAR DE FORMA NATURAL, SUAS ORQUÍDEAS AGRADECEM

Sempre ficamos preocupados quando notamos alguma coisa que não vai bem em nossas orquídeas. Seja por não desenvolverem, seja por apresentarem manchas, etc.






Hoje, vou ensinar várias receitinhas que poderão ajudar suas orquídeas e, por serem naturais, não causarão fito toxicidade.

É claro, que assim como um remédio, o excesso pode ser fatal, por isso, nada de abusarem!

A primeira DICA e, a mais importante é a PREVENÇÃO!

Quando cuidamos corretamente de nossas plantas, dificilmente elas serão acometidas por pragas e doenças.

A adubação correta e em dia, favorece com que a planta mantenha sua "imunidade" ou seja mais resistente ao ataque.

Porém, mesmo cuidando podemos nos deparar com diversas situações, devido aos desequilíbrios no clima, ventilação inadequada, excesso ou falta de água, uso de tesouras sem esterilizar, resíduos no local de cultivo, como folhas, plantas mortas, sujeira... Tudo isso, propicia a proliferação de cochonilhas, pulgões, caracóis, lesmas, formigas e doenças.

Leia mais em :COMO PREVENIR PRAGAS E DOENÇAS

Se, mesmo com todos os cuidados aparecer alguma praga, é preciso conhecer que tipo de praga para saber que tratamento é o mais eficiente!

"As lesmas e caracóis costumam aparecer em solos úmidos e gostam de atacar durante a noite, furando e devorando folhas, caules e botões florais. Já as formigas costumam ser injustiçadas: não são todas as espécies que atacam as plantas. Antes de eliminá-las, observe se elas voltam ao formigueiro com folhas cortadas. “As saúvas e as cortadeiras são as que costumam causar mais estragos”, conta Carol Costa".

Se você notar que as folhas estão enrugadas e com casquinhas pretas, é sinal de que a planta está sendo atacada por cochonilha ou pulgão. 

Além de roubar nutrientes, eles liberam um tipo de cera doce que facilita o ataque de fungos e atrai formigas. Não bastasse isso, algumas cochonilhas têm uma espécie de carapaça dura, mais difícil de combater, e há alguns pulgões que apresentam asas.

Antes de começar o tratamento, é necessário limpar a planta. 

O que dá sempre certo é lavar a planta em baixo da torneira com água corrente e sabão de coco. Se for apenas uma folha atacada, use uma esponja macia e faça a limpeza.

Para pulgões, coconilhas, você pode usar uma escova de dentes macia para auxiliar na remoção.

Então, vamos as receitas?

Nestas postagens você vai encontrar diversas receitas:


Para poder identificar o que está acontecendo, você poderá ler em:

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *