domingo, 28 de maio de 2017

A IMPORTÂNCIA DE LIMPAR AS FOLHAS DAS ORQUÍDEAS

POR QUE DEVEMOS LIMPAR AS FOLHAS?


É importantíssimo limpar as folhas, pois os estômatos ou estomas ( as boquinhas rsrsrrsrs) que ficam na parte inferior das folhas, tem a função de estabelecer comunicação do meio interno com a atmosfera, constituindo-se em um canal para a troca de gases e a transpiração do vegetal. Auxiliam na fotossíntese da planta.

Qdo regamos a planta, a água vai para o substrato onde ocorre a absorção da água pelas raízes. Ocorre um movimento no interior dos vasos condutores das plantas, das raízes até as folhas mais distantes, que se dá por diferença de potencial hídrico.


Assim, o caminho mais fácil da água percorrer é: a partir do substrato, entrar nas raízes, passando pelo corpo da planta até ser liberada na atmosfera pelas folhas ou outros órgãos que transpiram por meio dos ESTÔMATOS OU ESTOMAS.


Quanto mais quente for a atmosfera e, no geral, a tendência é ser menos saturada de água, fazendo assim com que a planta retire mais água do substrato e libere na atmosfera.

Por isso as orquídeas apresentam àquele aspecto desidratado!



Nesse mecanismo, os estômatos são abertos e as trocas gasosas se dão à noite, ainda assim num período reduzido dela, perdendo assim menores quantidades de água por unidade de tempo.


Este mecanismo é comum para boa parte das orquídeas em nossas coleções. As orquídeas com as folhas mais suculentas têm uma forte tendência a serem MAC (semelhante aos cactos, suculentas e algumas bromélias), sendo então que a eficácia das regas depende dos substratos chegarem úmidos no período noturno, onde a absorção se daria de fato, em boa parte dos casos.

Como limpa-las?

Vc vai precisar de: café solúvel ( 1 col de cafézinho), canela em pó ( 1 col de cafézinho), óleo de Neem (3ml), detergente neutro 2 gotas) e água quente (100 a 200 ml).

Em um recipiente pequeno, coloque um pouco de água quente e dissolva o café solúvel e deixe esfriar. Qdo estiver frio acrescente os demais ingredientes.

Preparando a mistura

Com um algodão ( eu uso àquelas bolachas de algodão usadas para tirar maquiagem - achei ótimo), umedeça na solução e esprema, deixando levemente úmido.

Comece a limpar as folhas, iniciando onde elas estão fixadas a planta. Limpe em cima e em baixo da folha.

Iniciando a limpeza

Troque o algodão sempre que ele estiver sujo.

Não precisa enxaguar.

Esta mistura deve ser feita somente quando for limpar. Não guarde a mistura pronta.

OBERVAÇÃO: Não exponha suas orquídeas ao sol após a limpeza, pois poderá queimar as folhas!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

BOKASHI

BOKASHI - ADUBO ORGÂNICO.


Resultado de imagem para BOKASHI em orquídeas

O nome pode parecer estranho, mas esse adubo vai trazer benefícios enormes se comparado a outros adubos orgânicos.

O nome é japonês e significa “matéria orgânica fermentada”. Essa técnica foi trazida ao Brasil e adaptada por imigrantes japoneses.

O bokashi é uma mistura balanceada de matérias orgânicas de origem vegetal e/ou animal, submetidas a processo de fermentação controlada.

São utilizados materiais como farinha de osso, farelo de trigo, torta de mamona entre outros. A receita vou deixar abaixo!

O Bokashi costuma ser bastante eficiente, mas sua composição pode variar bastante. O Bokashi pode ser encontrado pronto tanto em orquidários quanto em casas especializadas em jardinagem. . EU adorei o uso do Bokashi! Não tem cheiro e não aparecem àquelas mosquinhas indesejáveis ( principalmente para quem cultiva dentro de casa), além de ser excelente para minhas meninas.


O bokashi aumenta macro e micronutrientes, assim como a capacidade de troca catiônica ( responsável por armazenar os nutrientes no solo), além de ajudar a corrigir a acidez do solo ao longo do tempo, melhorando seu pH.

Como resultado as plantas conseguem absorver os nutrientes e se desenvolvem melhor.

Não basta misturar ingredientes de forma desordenada sem saber o que cada um pode fornecer de nutrientes.

RECEITA:
2 kg de farelo de arroz
500 gr de fubá
1 pote de iogurte natural
1 frasco de leite fermentado ( Yacult)
1 col de sobremesa de açúcar mascavo
1 copo de cinza de madeira
1 colher de sobremesa de fermento natural

PREPARO:
Misturar todos os ingrs com água morna mineral ou descansada por uma noite.
Não encharque a massa. Ela deverá ficar com uma textura seca, mas que ao apertar fique firme.
Por último acrescente o fermento e misture.
Coloque a mistura em um saco, tirando todo o ar. Deixando espaço para a massa crescer.

OBS:
O saco vai encher. Assim que "murchar" estará pronto. O cheiro será parecido com iogurte com álcool. 
Faça o teste, deixando uma pequena porção em local fresco, se formar fungos está pronto para o uso.
Faça bolinhas do tamanho de um docinho e coloque no vaso.
Para melhor resultado o substrato terá que ter composição orgânica.
Conserve em pote fechado e em local fresco.

ATENÇÃO!
Se a mistura tiver cheiro ruim ( diferente do cheiro de iogurte e álcool, é sinal que não deu certo! Não utilize e jogue fora!

domingo, 21 de maio de 2017

ERROS NO CULTIVO DE ORQUÍDEAS

NEM TUDO SÃO FLORES


Nenhum texto alternativo automático disponível.
Mini Phalaenopsis - Cultivo Tati

Quando começamos a cultivar, começamos com orquídeas que compramos ou ganhamos com flores... Porém, após caírem as flores, nos deparamos com: e agora?


Cortamos a haste? Trocamos de vaso? O que fazemos??? Muitas são as perguntas...


Sem conhecermos o tipo de orquídea que temos, podemos cometer "n" erros! Não só depois da floração, mas durante todo o cultivo.

A primeira coisa a saber é que no cultivo de orquídeas devemos ter paciência e dedicação.

Vamos abordar alguns erros mais comuns, que poderão te ajudar.

1 - Não saber a espécie da orquídea - Cada orquídea tem necessidades próprias da espécie ( mais ou menos luminosidades, mais ou menos regas e por aí vai).

2 - Cultivar em um só tipo de vaso - Qdo conhecemos o tipo de orquídea e o clima de nossa região, saberemos qual vaso seria o mais ideal para a planta.


3 - Após o replante, querer que a planta já emita sinais de desenvolvimento - As orquídeas precisamo de um tempo para se ambientar ao novo substrato, vaso, ambiente.

4 - Usar um vaso muito grande - O ideal é que sobrem no máximo dois dedos entre a planta e a borda do vaso ( se muito grande a planta usará muita energia para ocupar o espaço vazio, levando muito tempo par ocupá-lo o que pode acarretar da planta ficar doente.
Resultado de imagem para replante muito grande para orquidea


5 - Ao plantar, não observar a "frente" ( onde desenvolve novos brotos).


Resultado de imagem para replante da frente da orquidea


6 - Não esterilizar a tesoura antes de usar - Quando não esterilizamos ( no fogo) podemos passar doenças de uma planta para a outra.

7 - Não usar cicatrizante após os cortes - A canela em pó, além de cicatrizante é fungicida e bactericida. Leia mais sobre o assunto em  Uso da canela em pó

8 - Não observar suas orquídeas todos os dias - Manchas são indício de que algo não vai bem! Leia mais sobre doenças em Doenças nas orquídeas

Resultado de imagem para Manchas na orquidea




Respondendo às primeiras perguntas:

Cortar ou não a haste após a floração: Após a queda das flores, a mesma seca e pode ser cortada, a partir da base. Existem, contudo, algumas exceções, como é o caso da orquídea Phalaenopsis. 
Neste caso, não é regra que toda haste deva ser cortada. Fica a critério do dono.

Trocar ou não o vaso: Se sua orquídea não vai bem, pode ser que o tipo de vaso usado em conjunto com o clima de sua região, não seja o ideal - Pesquise os tipos de vaso + o clima de sua cidade + tipos de subtratos.




sábado, 20 de maio de 2017

COMO CUIDAR DAS ORQUÍDEAS NO INVERNO?

ORQUÍDEAS NO INVERNO


Como sabemos muitas orquídeas entram em dormência durante o inverno, porém sabemos também que com uma família tão grande, existem espécies que no inverno estão em pleno desenvolvimento.

Nosso Brasil, é muito grande e a variação climática é bem diferenciada e, entre junho à agosto, a variação climática e de temperatura é ainda maior, principalmente nos estados do Sul.

O vento frio e as geadas são inimigos número 1, ao contrário da estação de chuvas que antecedem o período de estiagem.

Com dias mais curtos e frios, a água tende a demorar mais para secar e, com isso, levar ao aparecimento e proliferação de fungos e bactérias.

Neste período, as chuvas evitam que fiquem secas e sofram com a baixa umidade, porém o aparecimento de doenças é maior.

Devemos aumentar os cuidados preventivos contra pragas e doenças, realizando uma limpeza em todo orquidário ( prateleiras, bancadas, etc... retirar palhas secas, e outros).

Neste período não é aconselhado replantes e cortes.

Como o inverno é uma estação tipicamente fria e seca, algumas orquídeas necessitam destas variações do clima para florirem, como os Cymbidiuns, algumas espécies de Dendrobiuns e até algumas espécies de Phalaenópsis.

DICA: O Dendrobium Nobile (Olho de boneca) deve sofrer o estresse hídrico (que começa em MAIO). A mesma dica vale para seus híbridos.

O cultivador amador, deve ter maior atenção nesta época, sendo aconselhável recolher suas plantas para dentro de casa, quando possível. As que estão em árvores, o ideal seria cobrir com plástico.
Resultado de imagem para cobrindo as orquideas no inverno
Este cuidado deve ser primordial para as orquídeas que tem como seu habitat natural clima mais quente e não suportariam a queda da temperatura.


Vale ressaltar que algumas espécies, ao contrário de que muitos pensam, estão em plemo desenvolvimento nesta época, como algumas espécies de Cymbidiuns, Oncidiuns, Phragmepidum, Gomesa e Laelia, que necessitam de mais água para que possam florir.

DICA: cuidado com o excesso de água para estas, pois o encharcamento do substrato poderá levar ao aparecimento de doenças e/ou apodrecimento das raízes.

Quanto a adubação, esta não deve faltar, porém deve ser reduzida a dose ou espaçar o tempo. Aumentar adubo com alto teor de Potássio é indicado, pois garante melhor enraizamento.

Após o inverno, já se pode iniciar a adubação com alto teor de nitrogênio, logo após aparecerem os primeiros sinais de brotos novos, pois este elemento é essencial à fase de crescimento, auxiliando na formação de clorofila e na síntese de proteínas.

Dias curtos, nesta época, interferem também com a luminosidade. As folhas e pseudobulbos podem ficar amarelados e sofrer queimaduras, caso exposta ao sol. Já a falta enfraquece as folhas e pseudobulbos, inibindo a floração e levando a doenças.

DICA: observe a coloração das folhas. A simples troca de lugar do vaso, mesmo que alguns centímetros, possibilita maior ou menor incidência de luz.

Uma coisa que costumo fazer nos dias muito frios é "quebrar" o gela da água, tendo em vista que em minha cidade os dias de inverno, muitas vezes chegam a ficar negativos. "Quebro o gelo" aquecendo um pouco a água, deixando-a em temperatura ambiente, mas não como o dia lá fora...kkkkk














terça-feira, 16 de maio de 2017

O que fazer para Carapaças e pragas em orquídeas por Francisco Deusvando



Carapaça e pragas em Orquídeas




Resultado do cultivo das Phalaenopsis no vidro





UMA ORQUÍDEA A MAIS, UM MEDICAMENTO A MENOS.



Como Preparar o Carvão p/ o plantio de Orquídeas





UMA ORQUÍDEA A MAIS, UM MEDICAMENTO A MENOS.



500 Espécies Diferentes de Orquídeas – Orquidário Gigante em São José d...





UMA ORQUÍDEA A MAIS, UM MEDICAMENTO A MENOS.



GRUPO ORQUÍDEAS SEM SEGREDOS - FACEBOOK

HOMENAGEM FEITA AOS MEMBROS DO GRUPO ORQUÍDEAS SEM SEGREDOS DO FACEBOOK




CULTIVO DE ORQUÍDEAS NA PEDRA BRITA







Como cultivar orquídea na pedra brita

Resultado de imagem para cultivo de orquídea em brita

A pedra brita são rochas trituradas por máquinas formando diferentes tamanhos de pedras. 

O destino principal das britas é a construção civil, como componente do concreto e pode ser usada como substrato para muitos gêneros de orquídeas. Não apenas para a drenagem no fundo dos vasos, mas como a totalidade do substrato.


Você poderá encontrar a pedra brita em casas de construção. Existem no mercado diversas cores, em cinza, rosada, esbranquiçada e até pretas. O importante no cultivo é o tamanho, mais conhecido como granulometria,



A granulometria mais recomendada é a Brita 0 até Brita 2

Existe muitas vantagens no cultivo com a brita, sendo a maior delas o fato de não se decompor, o que facilita no replante, que somente será feito se a planta necessita de um vaso maior ou se o vaso esta com problemas. Como é um material inerte não existe o risco de pragas, pois não há meio de seu desenvolvimento. A planta jamais ficará encharcada, mesmo com chuva excessiva ( por isso, as regas devem ser mais frequentes). A aeração das raízes fica ótima, devido aos espaços entre as britas. Uma outra vantagem, que para muitos é importante é o preço, pois trata-se de uma substrato barato se comparado com outros comprados.

Mas, nem tudo é excepcional com seu uso!

Como não retém umidade, as regas deverão ser mais frequentes.
Um ponto a considerar é quanto a secagem da brita, que não é tão rápida como pensamos.

DICAS: 
1 - Em locais cobertos regue de 2 em 2 dias, no mínimo ( vai depender do clima da sua região).
2 - Vasos que ficam externamente, sujeitos ao sol, precisam ter uma camada de sfagmo por cima, para manter a umidade - Lembrem que se a pedra receber sol direto esquenta, podendo queimar as raízes.
3 - Se vc usar a brita, o vaso ficará bem pesado, por isso considere de colocar os vaso sobre bancada e não pendurados. Vc poderá usar no fundo do vaso Isopor ou Argila expandida para deixar o vaso mais leve.


Como usar a brita?
Imagem relacionada

Escolha a granulometria ideal, conforme a classificação acima - n.º1 e no max a n.º 2. 
Na parte de cima colocar uma pequena camada de pedriscos, o que impede que os adubos granulados orgânicos lixiviem rapidamente.

Lave bem a quantidade que irá utilizar, a fim de retirar o pó e impurezas que possam conter.

Imagem relacionada

A colocação da planta no vaso segue a mesma técnica usada para outros substratos, ou seja, plantas de crescimento simpodial devem ter a parte da traseira encostada na parede do vaso e as monopodiais plantadas no centro.

Algumas espécies que se adpatam muito bem ao cultivo com brita são: Cattleya, Laelia, Dendrobium. Algumas outras que se adaptam, mas dependem do clima de sua região, são Phalaenópsis, Brassis, Miltonia, Maxilaria, Cymbidium, hibridos e até algumas micro orquídeas.

Lembrando que se a espécie for rupícola, com certeza se dará melhor neste método de cultivo.

Antes de plantar, identifique sua orquídea e veja como ela vive em seu habitat natural, se elas crescem e se desenvolvem bem próximo ou em rochas, elas irão amar este método.

Até a planta fixar totalmente é bom sustentá-la com tutor.

Vale ressaltar que a opção de cultivo e de tipos de substratos e afins vai da experiência encontrada. O que para muitos vem dando certo, melhor não mudar. 

Você pode fazer experiência com uma planta e observar os resultado e então decidir!






ASSOCIAÇÃO DE ORQUIDÓFILOS

VOCÊ SABE POR QUE EXISTEM?

Não sabe?

Quando comecei a cultivar orquídeas, e ouvi falar das Associações, achava que era para reunir cultivadores experientes e fazerem exposições!

Bom, primeiro vamos entender o que é orquidofilia.

Orquidofilia significa " amor pelas orquídeas" e seus praticantes cultivam ou estudam a mesma.

A associação existe para nunca permitir que uma espécie de orquídea entre em extinção.

Temos que respeitar sempre as orquídeas em seu habitat natural, isso significa, que jamais devemos pegar por simples capricho... Vamos respeitar e contribuir, garantindo a preservação das espécies.

Hoje em dia temos acesso a livros, revistas e a internet que nos ajudam, porém é no contato com outros amantes de orquídeas é que aprendemos mais sobre técnicas diferenciadas de cultivo, de acordo com o clima de nossa região.

Ficamos sabendo sobre novidades e até sobre "problemas" nas associações.

Para quem está iniciando, o cultivo pode parecer difícil e complicado, e quando temos o contato com orquidófilos mais experientes, o aprendizado/cultivo se torna muito mais agradável.

Procure em sua região se existe uma Associação de Orquidófilos e participe!

As Associações estão espalhadas pelo Brasil e em vários países, pois com o aumento do número de amantes por orquídeas, há a necessidade de unir as pessoas para troca de informações, o que tem aumentado na mesma proporção.

Além disso, é através da Associação que uma cidade pode participar do Circuito Nacional de Exposições de Orquídeas, que é promovido pela Coordenadoria das Associações de cultivados de orquídeas.

Uma Associação de Orquidófilos trabalha pelo progresso e divulgação do cultivo de orquídeas, incentivando e produzindo exposições na cidade, a fim de unir as plantas com as pessoas, propaganda a cultura. Ela cultiva a ética e os bons costumes que são necessários a todos os seres humanos que vivem em sociedade. Promove cursos, intercâmbio de informações e marca presença em outras exposições, prestigiando o cultivo de orquídeas por todo o Brasil. Fazem excursões, palestras sobre cultivo, confraternizações, premiações, trocas de plantas, etc. Em fim, cultiva a amizade!




COMO FAZER DENDROBIUM FLORIR

O SEGREDO ESTÁ NA REGA E NA ILUMINAÇÃO


REGA: Molhas sempre que o substrato está seco (se em tronquinhos ou árvores, regar todos os dias ou dia sim, dia não)

A imagem pode conter: planta, flor, natureza e atividades ao ar livre

A época de floração é entre o fim do inverno e meados da primavera, sendo assim ela precisa ser "enganada" com apenas 2 segredos.

1.º Se sua Dendrobium está em local de sombra, ela dará mais mudas que flores.
Então, coloque-a em local que pegue o sol até as 10h (mais que isso poderá queimar as folhas).
Se ela está em árvore, retire alguns galhos que impedem a passagem do sol.

2.º Provocar o estresse hídrico nos meses que antecedem a floração. 


As Dendrobiuns, acreditando que irá morrer, por falta de água, florirá para perpetuar a espécie.
(Importante vc saber que o preparo é de praticamente 1 ano)

Cuidados no mês de MAIO:
Nos meses anteriores as regas foram normais, agora vc deve deixar o substrato secar completamente ( para as de vaso), borrife água levemente, apenas superficialmente... 
Uns 2 dias depois é que irá molhar novamente.

Cuidados no mês de JUNHO:
Apenas borrife água levemente. No dia seguinte o substrato deve estar completamente seco... Deixe sem molhar por dois dias, para então borrifar novamente de leve.

Cuidado no mês de JULHO:
Borrifar água somente uma vez na semana. ( umedecendo bem as raízes, sem encharcar)
Mantenha a regularidade.

Como saber se está dando certo: Entre os meses de junho e julho já deverá estar aparecendo "bolinhas" no pseudobulbo. Este é um sinal que a planta está terminando a fase de dormência para iniciar a floração.

DICA: Faça as regas sempre no período da manhã.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

MINI CURSO 10 - Tela de sombreamento

Tela de sombreamento/Sombrite.

Resultado de imagem para orquidario com sombrite


A questão de um ambiente favorável para o cultivo pode ser conseguido de várias maneiras e em vários ambientes, o que torna o seu cultivo possível até em apartamentos, mas para isso é preciso ter em mente qual o tipo de ambiente em que as orquídeas gostam de viver.

Para quem tem um ambiente externo de cultivo é indispensável o cultivo com tela de sombreamento (sombrite ou aluminet) que em geral se usa do 50% a 80% dependendo da região e altura do orquidário


No começo, qdo comecei a cultivar, tinha uma duvida terrível quando via nos sites de compra de orquídea sobre o assunto, pois qdo via: LUMINOSIDADE - 70%, entendia que a planta deveria receber 70% de luz e não que deveria ser protegida. 
Até conseguir entender isso, perdi muitas orquídeas com excesso de exposição.

Foi só quando fui a uma praça de minha cidade, que olhando para as árvores, imaginei uma orquídea em uma árvore e pude sentir e ver o que seria o ideal.
Resultado de imagem para praça osório Curitiba
Praça Osório - Curitiba/Pr

DICA:

Observem bem quando forem comprar!

Alguns trazem, por exemplo:
- Sombrite de 70%.
- Luminosidade: 70%

* Pode ser cultivada em sombreamento de 50% ( na minha opinião, assim deveriam vir descritas)

Resultado de imagem para orquidario com sombrite
Testando o sombrite

Tela de sombreamento:

Se parece com tela de mosquiteiro de textura mais firme, é a melhor que existe no mercado, tem uma durabilidade superior 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e sapatos
Tela de sombreamento


Sombrite 
Ambas são ótimas, diferenciando apenas na textura, no preço e na qualidade

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Sombrite


Entendendo isso, agora vc já sabe como é importante conhecer a sua orquídea. Se ela vive em ambientes com 50 a 70% de sombreamento é isso que vc deve oferecer...

Vc deve se perguntar, mas tenho várias, com diferentes necessidades... 

Bom, neste caso, vc deve dispor elas de maneira que tenham esta necessidade atendida. 

Como? 

Coloque as que precisam de mais claridade em cima, e as que precisam de mais sombra para baixo.










terça-feira, 9 de maio de 2017

O que fazer no frio com nossas orquídeas?

FICA UMA TREMENDA DICA PARA O FRIO.



É só esfriar para aquela plantinha que você mimou o ano inteiro começar a perder folhas, encher de cochonilhas ou, pior, morrer? Se seu jardim sofre com os rigores do inverno, veja três bons truques para manter as plantas saudáveis até a entrada da primavera.
Acabe com as pragas
Pulgões e cochonilhas se aproveitam da fraqueza das plantas no frio para atacar brotos, folhas e flores. A melhor maneira de se livrar dessas pragas é borrifar toda a planta com óleo de Neem, uma vez por semana.
Agasalhe seus vasos
Algumas espécies precisam ser protegidas de friagem e mudanças bruscas de temperatura. Para isso, tire os vasos de correntes de vento e envolva o cachepô em várias camadas de jornal.
Proteja contra a geada
Plantas com flores ou de folhas finas ficam mais sujeitas às queimaduras causadas pelas geadas. Se na sua cidade os termômetros ficam muito baixos, mantenha os vasos floridos dentro de casa.
Crie barreiras naturais
Quem tem muitas plantas ao ar livre — como orquídeas amarradas em árvores — pode protegê-las plantando por perto arbustos de folhagem fechada, resistentes ao frio. Murta, azaleia, buxinho e podocarpo são boas escolhas.
Regue menos
O maior vilão do inverno nem é tanto o frio e sim a umidade: com menos calor, as plantas não absorvem a água da rega tão rapidamente e o vaso fica molhado por mais tempo. Até setembro, regue menos do que o habitual.
Só não vão colocar toquinhas como fiz na foto...kkkkkkkk

MINI CURSO 9 - REGA

REGA

Nenhum texto alternativo automático disponível.

As orquídeas são mais conhecidas por serem “difíceis” e de “não gostar de água”. Curiosamente, são típicas de países tropicais e úmidos.

O que pode parecer uma das tarefas mais simples a se fazer costuma gerar inúmeras dúvidas, quando vamos por em prática. 

Afinal, com que frequência, e quanto devemos regar nossas orquídeas? 

Todos sabem que a falta d’água pode matar as orquídeas, mas poucos sabem que o excesso de água é uma das maiores causas de morte das orquídeas. 

Molhar demais causa o apodrecimento das raízes, matando a planta.

Saiba o que levar em consideração ao regar:

Tipo de clima: Se muito quente, as regas devem ser maiores e com mais frequência.

Tipo de substrato: Terra e musgo retêm muito mais umidade do que brita, isopor e casca de pínus, por exemplo. 

Tipo de vaso: Vaso plástico mantém a umidade por mais tempo do que vaso de barro, mas cada tipo de material tem seus prós e contras. ...
Estrutura das folhas. ...

DICA:
Para saber se sua orquídea precisa sr regada verifique o substrato colocando um dedo dentro dele. Se sentir úmido NÃO regue.

Sempre deixe secar antes de regar novamente.

CLIMA:

Se muito quente, as regas devem ser maiores e com mais frequência.

A frequência com a qual regar as orquídeas é afetada pelo nível de umidade na sua região, bem como pela quantidade de sol que a planta receberá e pela temperatura do ar.

Como esses fatores mudam de acordo com a região e a casa, não há regras quanto a eles. Você terá que desenvolver uma rotina de acordo com o seu ambiente específico.

Se a temperatura na sua casa for fria, regue com menos frequência do que se for quente.

Se a planta ficar numa janela ensolarada, precisará de mais rega do que se estiver na sombra.

SUBSTRATO:

Terra e musgo retêm muito mais umidade do que brita, isopor e casca de pínus, por exemplo. 

Quanto maiores os pedacinhos que compõem o material, mais rápido a água passa por eles, deixando a orquídea seca em pouco tempo. 

Portanto, orquídeas terrestres podem ser regadas menos vezes na semana, mas as que estão com as raízes nuas ou crescendo sobre árvores precisam de água diariamente. 

Substratos mistos para orquídeas são encontrados em muitas composições, podendo ter pedacinhos de casca de coco, carvão, pínus, fibra de coco, isopor, semente de açaí, capulho de algodão.

VASO:

Vaso plástico mantém a umidade por mais tempo do que vaso de barro, mas cada tipo de material tem seus prós e contras. 

Muitas orquídeas não suportam o calor e abafamento proporcionado pelo plástico, portanto, deixe para usar mais em micro-orquídeas e nas Phalaenopsis (nesse caso, prefira vaso plástico transparente). 

Vasos de fibra de coco retêm bastante água, prefira para micro orquídeas. 

Quanto mais furado e raso o vaso, mais seco ele fica.

PSEUDOBULBOS:

Orquídeas que possuem “gordinhos” (chamados de “pseudobulbos”) exigem menos rega do que as que não têm essas estruturas. 

Os Dendrobium, por exemplo, são plantas mais resistentes ao ar condicionado porque seus caules suculentos armazenam água e nutrientes – podem receber rega apenas uma vez por semana. 

As Phalaenopsis, no entanto, precisam de água até três vezes por semana por terem folhas simples, sem pseudobulbos.

DICA:
Vanda, Ascocenda e Rhyncostylis são alguns dos gêneros de orquídeas que apreciam rega por aspersão: use um borrifador para molhar a planta toda, poupando apenas as flores. 

Já orquídeas terrestres como Cymbidium, Paphiopedilum e Arundina, por exemplo, devem ser regadas como qualquer forração comum, com mangueira ou regador.

A rega ideal é derramar água no substrato em abundância, pelo menos 1 vez na semana, deixando escorrer. Depois, escorra o excedente e devolva a orquídea ao local em que estava.

DICAS: 

Se você estiver na dúvida entre regar ou não, não regue, pois a maioria das orquídeas tolera melhor a falta ao excesso d’água.

Prefira regar pela manhã, para que a água respingada nas folhas, flores e bulbos seque bem.

As folhas não secam bem durante a noite, e folhas mantidas molhadas por longos períodos são mais suscetíveis ao ataque de doenças causadas por fungos e bactérias. Se não puder regar de manhã, regue à tarde, mas evite regar à noite, principalmente se você molhar as folhas durante a rega.

ATENÇÃO!
Cuidado ao regar as Phalaenópsis! Não deixe água parada na axila ("copinho" - foto), se necessário seque com um pano ou cotonetes.
A imagem pode conter: natureza










Não molhe as flores e botões.

Quando a orquídea estiver florescendo ou liberando novas folhas e raízes, precisará de mais água.

O substrato dela deve ser áspero e poroso, permitindo um bom fluxo de ar para as raízes e ainda assim deixando que retenham um pouco de umidade.

Quando a planta estiver descansando entre as florações, usará menos água. Isso acontece geralmente no fim do outono e no começo até o meio do inverno, dependendo da espécie.

Uma planta maior precisará de mais água do que uma menor.

Temperaturas mais frias e pouca luz farão com que a planta precise de menos água.

Condições muito úmidas farão o mesmo. Nas muito secas, ela precisará de mais. Níveis de umidade entre 50 e 60% são os ideais.







segunda-feira, 8 de maio de 2017

ENRAIZADORES PARA ORQUÍDEAS

UMA ORQUÍDEA A MAIS, UM MEDICAMENTO A MENOS.




Modo de usar:
De 5 gotas por litro,sempre no final da tarde.Borrifar ou regar as raízes a cada 10 dias.Mas se sua planta está debilitada SEM RAÍZES,faça esse procedimento a cada 2 dias.
Dando sequência ao MINI CURSO sobre raízes, resolvi postar esta matéria:

Existem no mercado muitas substâncias que nos auxiliam no melhoramento e desenvolvimento de raízes.

Como dizemos no grupo " RAÍZES saudáveis planta saudável." Lembrado aqui que planta bem cuidada, bem tratada é planta saudável e que florirá sempre.

Lembrando aqui á todos que a DIFERENÇA ENTRE O VENENO E O REMÉDIO É A DOSE, se aplica também as orquídeas

Então vamos começar pela mais antiga substância,o Complexo B:

Cloridato de Tiamina( COMPLEXO B ) encontrado em farmácias conhecido como Benerva,Neven,Beneum,Beneroc .etc.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Composto de vitamina B1 - COMPEXO B é ministrado para o crescimento e enraizamento das Orquídeas. É um enraizador eficiente para a maioria das plantas por que funciona como hormônio.
Modo de usar:
De 10 gotas por litro,sempre no final da tarde.Borrifar ou regar as raízes a cada 10 dias. 

DICA: se sua planta está debilitada SEM RAÍZES,faça esse procedimento a cada 2 dias.


Nenhum texto alternativo automático disponível. A imagem pode conter: maquiagem
1 ml de Beneroc contém Vitamina B1 (mononitrato de tiamina) - 5mg. 1 Comprimido de Vitaum ou Benerva contém Vitamina B1 (cloridrato de tiamina) - 300mg.

Usando o Vitaum ou Benerva: 1 comprimido de 300mg / 750ml de água = 400mg de Cloridrato de tiamina por Litro de água.

Usando o Beneroc: 

10 gotas / 1000ml de água = 2,5mg de Mononitrato de tiamina (quantidade aproximada, uns dizem 20gts = 1ml outros 32gts = 1ml).

VITA GOLD:Isso mesmo vitamina para pássaros e aves em geral. Feita com um conjunto de vitaminas como A,D3,E,B1,B2,B6,B12 e Nicotinamida. É um potente enraizador,agindo da mesma forma que a vitamina do complexo B.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
FORTH ENRAIZADOR : É um fertilizante que contém um complexo nutricional balanceado para favorecer oenraizamento da planta.
Modo de usar: No caso das Orquídeas a dose tem que ser menor ( MENOS É MAIS ) uma vês que são plantas mais sensíveis a algumas substâncias,o recomendado é 1ml por litro a cada 15 dias plantas debilitadas e 30 dias com plantas em bom estado.

Nenhum texto alternativo automático disponível.
BIOFERT RAIZ: Similar ao Forth, mais com um composto de 11 vitaminas (contém micronutriente) também é um produto mais antigo no mercado com resultado muito bom.
Modo de usar: Usar 1ml por litro de agúa a cada 15 dias.Mas se você quiser fazer um tratamento de recuperação faça dose homeopática de 1/2 ml por litro a cada 7 dias.

FISH FÉRTIL : é um fertilizante orgânico de aplicação foliar oriundo de um processo natural de fermentação enzimática de pescados marinhos. Atua como um regulador natural do equilíbrio nutricional das plantas, promovendo o aumento da fotossíntese e a máxima exploração do seu potencial biológico e fisiológico. Esse fertilizante usei durante muito tempo par adubação das micro Orquídeas com um resultado muito bom.
Modo de usar:Usar 1ml por litro de agúaa cada 7 dias ou 2,ml a cada 15 dias

SUPERTHYVE: É um composto ultra concentrado com mais de 50 hormônios e vitaminas,a fórmula é um segredo no entanto especulamos a existência de AIB ,Ácido Giberélico e vitamina B1.Os benefícios são rápido desenvolvimento (2 anos em 1) recuperação de plantas semi-mortas,aumento no sistema vegetativo,ajuda na adaptação de especieis de difícil cultivo,desenvolvi gemas adormecidas.
Modo de usar: Por ser concentrado 1 gota por litro de água a cada 15 dias. LEMBRANDO as raízes e não a planta toda.

Lembrando que existem várias receitas de enraizador natural que já foram publicadas aqui no grupo, como os de feijão, lentilha, tiririca, etc.

VISUALIZAÇÕES DO BLOG