COELOGYNE

ORQUÍDEA COELOGYNE

Coel. Massangeana - Epífita

Coelogyne trinervis - Rupícola

Coelogyne testacea - Epífita/terrestre


Este Gênero possui aproximadamente 200 espécies, existindo espécies epífitas, rupícolas e terrestres. Algumas suportam o clima quente (Coel. parishiiCoel. tomentosaCoel. fimbriataCoel. flaccida, Coel. pandurata

Coel. parishii

Coel. tomentosa

Coel. fimbriata

Coel. flaccida

Coel. Pandurata


e outras o frio (Coel. Cristata, Coel. lawrenceanaCoel. nitida), portanto, dependendo da espécie, o cultivador deverá tomar certos cuidados em relação à temperatura.
Coel. cristata

Coel. lawrenceana

Coel. nítida

O mais importante para que uma Coelogyne floresça é reproduzir as condições climáticas mais próximas de seu habitat original, principalmente no que se refere às regas e temperatura. Assim, é muito importante verificar a origem de cada espécie para saber qual é o cultivo indicado, pois cada uma se adapta às diferentes condições ambientais. Existem espécies de clima quente, moderado e frio. Quase todas gostam de muita luz.

São facilmente reconhecidas por sua robustez e abundantes flores, intrigantes e delicadas, frequentemente de cor creme, mas também brancas, verdes ou alaranjadas, muitas das quais perfumadas durante o dia e que geralmente duram semanas.

Suas flores crescem tanto do ápice dos pseudobulbos como de um broto novo e podem ser pendentes ou em inflorescência ereta. 

Em todas as estações há espécies floridas, porém a maioria floresce durante a primavera.

São plantas fáceis de cultivar, se multiplicam com facilidade, formando grandes touceiras, agrupamentos de plantas de uma mesma espécie. Uma espécie merece destaque: Coelogyne cristata, cuja floração pode demorar alguns anos para ocorrer, o que gera certa decepção para alguns colecionadores.

Quando essas espécies são cultivadas no Brasil, após o fim da floração durante cerca de três a quatro meses são necessárias regas abundantes para reproduzir essa condição natural. Após esse período as regas devem ser reduzidas. A maioria das Coelogyne não gosta de ser replantada, sendo que algumas podem recusar-se a florescer por um ou dois anos após o replante. 

Há espécies grandes e pequenas, algumas têm pseudobulbos espaçados em vários centímetros, outras os têm amontoados, sempre com uma ou duas folhas. 

Algumas espécies são amplamente cultivadas em todo o mundo; entretanto, como a maioria delas cresce rapidamente, logo se transformam em um problema para colecionadores de orquídeas com espaço insuficiente. De modo geral os cultivadores escolhem umas poucas espécies para ter em suas coleções, mas elas estão sempre presentes.

Os rizomas das Coelogyne podem atingir até 15 cm de comprimento. São consideradas grandes entre as orquídeas, como a Coelogyne rumphii e a Coelogyne trinervis, que podem atingir até 70 centímetros de altura, 
Coel. rumphii

Coel. trinervis
ou pequenas, como a Coelogyne ovalis e Coelogyne miniata, que não passam de 20 centímetros, porém, quando bem cultivadas, tornam-se touceiras de tamanho considerável. 
Coel. ovalis

Cole. Miniata

O que achou desta postagem? Curta, comente, compartilhe. Sua opinião é muito importante!

Nenhum comentário: